[…] Esta Doutrina, filha das Forças Superiores, sua jóia predileta, que a nós foi confiada para sua divulgação na Terra, deve ser divulgada, deve ser explanada, deve ser respeitada e obedecida por aqueles que na Terra se dizem seus instrumentos, e o devem ser de fato […]
- Luiz Alves Thomaz

28 de maio, celebrando 130 anos da chegada de Luiz Alves Thomaz ao Brasil

Foi em 28 de maio de 1887, que aos 15 anos de idade, Luiz Alves Thomaz chegou ao Brasil e nesse mesmo dia empregou-se numa casa comercial de secos e molhados;
dessa casa passou a trabalhar em outras e por último empregou-se na firma A. Coimbra Leão, estabelecida na então Rua Direita, hoje Rua XV de Novembro.
Ainda empregado nessa última casa, recebeu de seu irmão José Alves Thomaz, residente em Portugal, vinhos e alguns gêneros em consignação.

Como saiu-se bem nesse negócio, sabiamente, seu irmão lhe enviou nova remessa, portanto, foi dessa mesma forma que ao fazer algumas economias, deu partida ao seu instinto comercial, que lhe renderam crédito para em 1888, iniciar sociedade com seu irmão Manoel Alves Thomaz, na Ruz Xavier da Silveira 74, depois mudaram para à Rua José Ricardo 20, sob a razão social de Thomaz Irmão e Cia., onde manteve esse comércio até Julho de 1908.
Assim, neste 28 de maio de 2017, estamos relembrando os 130 anos da chegada de Luiz Alves Thomaz ao Brasil. E nessa busca de informações para relembrar tal data, nos deparamos com as seguintes dúvidas.

E agora? Manoel ou Manuel? Luis ou Luiz? Tomaz ou Thomaz?

Há um bom número de evidências que se contradizem sobre o nome Thomaz, e ao pesquisar sobre a história do Concelho de Castanheira de Pera, acidentalmente encontramos a Rua Manoel Alves Tomaz em homenagem ao seu benfeitor, porém ao pesquisar a Freguesia de Moita, encontramos mais uma homenagem ao mesmo benfeitor, porém com pequenas divergências; Manoel ou Manuel e ao sobrenome Tomaz, com a letra "h" acrescida ao sobrenome do mesmo benfeitor.
Como a mesma placa na Freguesia de Moita homenageia ambos irmãos benfeitores, temos mais um nome, o que nos ajuda ainda mais à esclarecer essa pequena dúvida.

Para tentar elucidar esse mal-entendido, nos levou a buscar por eventos na história do Brasil.
- imigrantes esperando por navios
em portos portugueses para
embarque ao Brasil no começo
do século XX -
O Brasil devido a extensão de seu território, sempre teve uma política de imigração aberta para com todos os povos e todas as nações, mas no século XIX, com a pressão de movimentos abolicionistas e a intensiva cobrança internacional contra o comércio ilegal de escravos, assim, em 13 de maio de 1888, aconteceu a abolição da escravidão.

A partir dessa data, houve um incremento de incentivo na vinda de imigrantes para suprir a falta de mão de obra nas fazendas de café, e coincidia com uma crise econômica na Europa, fato que provocou uma onda de imigrantes direcionados ao Brasil. 
(imigrantes recém-chegados esperando por registros)
Em nossos portos devido a demanda burocrática, os registros de entrada eram feitos sem formalidades e sem exigências, ditados apenas na palavra dos recém-chegados, e, sem qualquer conferência por parte de ambas as partes.
(imigrantes recém-chegados esperando por registros)
Porém, esses imigrantes extenuados pela viagem, não davam a devida importância a esse registro de entrada, pois tudo indica, o que mais queriam naquele momento era sair das filas cansativas, entretanto, esse documento funcional que poucos davam a devida importância, era o único documento válido para o trâmite burocrático de outros documentos, assim, nos leva a crer que este registro de entrada, gerou um novo nome aos irmãos Manoel Alves Tomaz e Luís Alves Tomaz.

A própria doutrina racionalista cristã, em algum momento de sua história, teve que optar pela definição do nome de seu fundador, portanto no seu principio a doutrina também se confundiu, o definindo para Luiz Alves Thomaz.

E ao buscar registros dos irmãos Alves Thomaz, encontramos alguns fatos interessantes, que nos mostram que os irmãos assumiram a troca do nome de Manuel por Manoel e Luis para Luiz e o sobrenome com "h".

 - publicação do registro na junta comercial do Palace Hotel de propriedade do Sr. Manoel Alves Thomaz

- assinatura de Luíz Alves Thomaz, Luiz com "z" e Thomaz com a letra "h"

- Freguesia de Moita, um dos primeiros casarões, aldeia onde viveram os irmãos benfeitores, com a placa indicando o início de ambas ruas em nome dos irmãos Manoel e Luiz Alves Thomaz.
- Placa indicando o início de ambas ruas em nome dos irmãos Manoel e Luiz Alves Thomaz na Aldeia de Moita - Castanheira de Pêra.

- Placa indicando a Rua Manoel Alves Tomaz anexada ao prédio da Câmara Municipal de Castanheira de Pêra -

- Prédio da Câmara Municipal de Castanheira de Pêra -
.
.
Para tentar elucidar essa dúvida também encontramos a certidão de óbito do benfeitor e humanista Luís Alves Tomaz, que nos revela o nome dos pais Senhor Luis Alves Tomaz dos irmãos Alves Tomaz, portanto sem a letra "h", mas como os irmãos Alves Tomaz ao chegarem ao Brasil assumem esse novo nome para suas vidas em documentos e assinaturas, assim, com ou sem "h", ambos nomes podem ser considerados corretos!

 - Concelho de Castanheira de Pêra e a Aldeia de Moita, e mais ao sul podem ser identificados os Concelhos de Pedrógrão Grande e Pedrógrão Pequeno  by Google -
De acordo com A Gazeta do Racionalismo Cristão, Luiz Alves Thomaz é, nascido em Portugal em 4 de agosto de 1871, Freguesia e Conselho de Castanheira de Pera, Distrito de Leiria, Luiz Alves Thomaz com apenas quinze anos de idade imigrou para o Brasil, e, em 28 de maio de 1887 desembarcou no porto de Santos.
-  imigrantes esperando por navios em portos portugueses -
A partir da metade do século XIX, a imigração portuguesa no Brasil tomou caráter quase que exclusivamente urbano. O perfil do imigrante português também se alterou: antes, a maioria era composta por homens solteiros. A partir do final do século XIX, as mulheres portuguesas também chegaram ao Brasil em número expressivo. As crianças menores de 14 anos eram 20% dos imigrantes. A situação econômica também se alterou. No final do século XIX, os que chegaram eram extremamente pobres e sem escolaridade, vindos de aldeias do interior de Portugal.
28 de maio, celebrando 130 anos da chegada de Luiz Alves Thomaz ao Brasil
Por Wilson Candeias

Poderá gostar de conhecer: